Blog feito com amor!

15 de abr de 2012

Semelhanças...

SOLANGE!
A semelhança entre os(as) albinos(as) é demais na infância, todos os meninos se parecem e da mesma forma são as meninas.
Enviaram esse vídeo para nosso FACEBOOK, http://www.facebook.com/albinismo, e achei a menina igualzinha a mim e a minha irmã Soraya, VEJAM:


Não é mesmo uma gracinha?

13 de abr de 2012

Dia do beijo!


Um beijo do (latim basium) é o toque dos lábios com qualquer coisa, normalmente uma pessoa. Na cultura ocidental é considerado um gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida, entre amantes e apaixonados, como prova da paixão.

O beijo nos lábios de outra pessoa é um símbolo de afeição romântica ou de desejo sexual - neste último caso, o beijo pode ser também noutras partes do corpo, ou ainda o chamado beijo de língua, em que as pessoas que se beijam mantêm a boca aberta enquanto trocam carícias com as línguas.

Conta-se que:

Os mais antigos relatos sobre o beijo remontam a 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.

Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.

Na Escócia, era costume o padre beijar os lábios da noiva ao final da cerimônia. Acreditava-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção. Já na festa, a noiva deveria beijar todos os homens na boca, em troca de dinheiro. Na Rússia, uma das mais altas formas de reconhecimento oficial era o beijo do czar.

No século XV, os nobres franceses podiam beijar qualquer mulher. Na Itália, entretanto, se um homem beijasse uma donzela em público, era obrigado a casar imediatamente.

Mas é também um sinal de reverência, ao se beijar, por exemplo, o anel do Papa ou de membros da alta hierarquia da Igreja. No Brasil, D. João VI introduziu a cerimônia do beija-mão: em determinados dias o acesso ao Paço Imperial era liberado a todos que desejassem apresentar alguma reivindicação ao monarca. Em sinal de respeito, tanto os nobres, como as pessoas mais simples, até mesmo os escravos, beijavam-lhe a mão direita antes de fazer seu pedido. Esse hábito foi mantido por D. Pedro I e por D. Pedro II.

Beijo nos lábios

O beijo de língua (também chamado de beijo linguado em Portugal) é uma forma de beijo de forte conotação erótica, em que os parceiros fazem movimentos mútuos com a língua um do outro.

Embora sejam comuns dentro da família os beijos nos lábios (popularmente conhecido como "selinho" ou "bate-chapas"), um beijo usando a língua quase sempre indica algum relacionamento de ordem romântica, podendo ter ou não compromisso - nesse último caso, diz-se popularmente que os parceiros são ficantes. O beijo de língua estimula os lábios, a língua e a boca, que são áreas muito sensíveis ao tato, e de maneira geral as pessoas consideram algo muito prazeroso e altamente íntimo. É também bastante freqüente antes das relações sexuais e mesmo durante. Diferentemente de outras formas de beijo, o beijo de língua tende a ser prolongado, intenso e apaixonado. Devido à intimidade associada, o beijo em público é considerado falta de educação em muitos lugares do mundo. Em lugares como Israel, o beijo de língua é culturalmente considerado indecente.

No beijo de língua, os parceiros trocam saliva, o que em outras circunstâncias é considerado algo delicioso e nesse caso pode servir para aumentar a excitação. Embora a maior parte das doenças sexualmente transmissíveis não são transmitidas através do beijo, é possível contrair algumas doenças por meio dessa prática, como é o caso da mononucleose infecciosa. A cada beijo, são transmitidas em torno de 250 mil bactérias.

O dia do beijo de língua é comemorado aos 13 de abril.

No beijo são movimentados 29 músculos da face. Estima-se que em toda vida as pessoas dão cerca de 24 mil beijos! Além de tudo isso um beijo de língua tem o poder de queimar até 12 calorias em 10 segundos.

Um abençoado dia do beijo para todos...

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Beijo_de_l%C3%ADngua

http://pt.wikipedia.org/wiki/Beijo


O VALOR DO BEIJO
Quisera eu ser sempre beijada
Mas não só de impulso
Sim de ternura quase angelical
O beijo para mim
Tem tom de registro
Do que diz o coração
À mente da gente
Que impulsiona a agir
Com toques de ternura
A demonstrar o afeto avassalador e perfeito
Definindo relações
Fraternas
Irmãs
Esponsais
O que importa, na verdade,
É o que significa:
É um falar sem palavras
O que explode no coração da gente
Um sentimento doce
Impetuoso também
Que se revela na forma
Como nos é dado o beijo
Muitas vezes de traição...
Outras muitas de amor doação
Que se entrega de corpo e alma
E quer ver o amado de bem com a vida
Porque simplesmente se sente acolhido
E acariciado...
Beijo bom???
O que é dado de coração...
Como do meu amado
Que nem precisa ser "real"
Basta ser dado com todo a intenção reta do coração
Até mesmo na imaginação
E, assim, me sinto beijada o dia todo...
Sentindo o gosto do doce sabor
Do que exprime o seu amor por mim.
E vivo mais alegremente!!!


5 de abr de 2012

Marketing LAMENTÁVEL!!!

Cerveja x discórdia!

Albinos Protestam
Contra a Cerveja Albino Rhino

Uma cerveja chamada Albino Beer não está descendo redondo para alguns albinos da Colúmbia Britânica, no Canadá. Dois deles processaram a cervejaria do Earls Restaurants alegando que o nome da bebida é “humilhante”. O restaurante também oferece asa de frango albina em seu cardápio. Peter Ash, da ONG albina Under the Same Sun, declarou ao PostMedia News: “Não existe Aperitivos Alzheimer, Martini Esclerose Múltipla ou Coquetel Paralisia Cerebral, então porque pode haver asa de frango albina?” Um porta-voz da cervejaria informou que a bebida – no mercado há 25 anos – foi batizada em referência ao rinoceronte branco e não ás pessoas albinas.

Fontes:

http://now.msn.com/money/0329-rhino-albino-complaint.aspx

http://www.albinoincoerente.com/2012/04/cerveja-da-discordia.html

Albinismo na visão de algumas pessoas de Moçambique!

Em uma das nossas postagens, recebemos
um comentário DE UM BLOG: A grama da vizinha


Q bacana, parabéns pela conquista! Pesquisando sobre albinismo achei seu blog, moro em Moçambique, África e aqui tive um contato mais direto com este assunto e também escrevi no meu blog :)

Vez ou outra ela está lá. Uma garota branca, bem branquinha, a pedir esmolas no farol entre a Av. Julius Nyerere e Av. 24 de Julho. E a gente se cobre de um sentimento de impotência. O sol, o grande vilão, queima e mancha a pele da garota. Mas ele se torna um coadjuvante, perto do maior vilão de todos, o preconceito. Um dos temas que nunca imaginei abordar nos chama atenção diariamente aqui em Maputo, o albinismo.

Filhos da Lua - Albinos em Moçambique

Já vi muitos albinos aqui em Moçambique, mas infelizmente nenhum em uma posição privilegiada na sociedade, sempre em trabalhos inferiores, isso quando conseguem trabalho. Pensando neste assunto, hoje conhecemos um pouco do belíssimo trabalho do casal de fotógrafos Solange dos Santos (moçambicana) e Dominique Andereggen (suéco) e da Adods – “Associação defendendo os nossos direitos”, uma organização moçambicana sem fins lucrativos, que visa garantir que os direitos das pessoas portadoras do albinismo sejam salvaguardados. Os fotógrafos, moraram na Tanzânia e souberam de tantas crueldades que sentiram a necessidade de fazer um trabalho revelador sobre estas pessoas quando vieram morar em Moçambique. Assim, em parceria com a Adods, nasceu o livro e a exposição fotográfica: “Filhos da lua” (um dos modos de se referir à pessoas albinas), moçambicanos albinos. Assista aqui o depoimento de alguns participantes da exposição.

Uma parte do trabalho da Adods, consiste em uma doação financeira mensal e você se torna “Padrinho” de uma pessoa com albinismo aqui de Moçambique. “Padrinho” e “Afilhado” se conhecem, e o padrinho pode acompanhar de perto a educação e assistência médica do afilhado. Eu não imaginava que aqui em Maputo existisse um movimento assim. Fiquei muito feliz por conhecer!

Para quem não está aqui, seguem trechos do livro e algumas fotos da exposição “Filhos da Lua”:

“Tudo começou no leste da África há alguns anos atrás, quando vivíamos na Tanzânia, indiscutivelmente o pior lugar do mundo para nascer com albinismo. O país tem uma das maiores populações de albinos do mundo e eles estão sendo perseguidos pela sua pele branca. É um lugar onde ser albino é quase uma sentença de morte. A notícia dosassassinatos macabros, mutilações e sofrimento dessas pessoas bonitas deixou uma impressão muito forte em nós“.

“É uma maldição nascer albino na África Equatorial. Eles estão sob ameaça do câncer de pele e, por isso, raramente vivem para além dos 40 anos de idade. Além disso,a perseguição de pessoas com albinismo é baseada na crença de que partes de seus corpos transmitem poderes mágicos. Esta superstição está presente em algumas partes de África. As pessoas são condenadas ao ostracismo por causa do seu tom de pele. Elas são confrontadas com a discriminação, caçadas como animais e brutalmente atacadas tendo os seus membros decepados (braços, pernas, órgãos genitais) para serem vendidos no mercado negro para rituais de feitiçaria“.

Consegue imaginar isso?

Em meio a iPads, cosméticos revolucionários, etc, o ser humano ainda não conseguiu o básico, conviver com ele mesmo.




Tocantes não?

A exposição já focerrada, mas a Adods precisa de auxílio e voluntários e fica na Av. Salvador Alende, 560 (+258 827235990 / 845301852), anaela2003@yahoo.com.br.

Amei quando vi esse blog, pois percebi que as pessoas querem se livrar desses tais "PRECONCEITOS"...