Blog feito com amor!

30 de jan de 2015

Vida acadêmica!




No início do ano de 2011, Soraya e eu, Solange começamos nossa vida acadêmica, ela para Ciências Biológicas e eu Letras Português, na Universidade Vale do Acaraú, mais conhecida como: UVA. As aulas eram ministradas aos sábados, das 08:00 às 17:00 horas, ou seja o dia todo com muitas  informações, provas, trabalhos individuais e em grupos, seminários e ainda várias atividades para serem desenvolvidas durante toda a semana...
·Muitas pessoas acreditam que estudar apenas aos sábados é moleza, (ENGANAM-SE)
Eu, desde antes  começar o curso desejava fazer meu TCC incluindo a pessoa albina, mas como amadora não sabia nem por onde iniciar nem tão pouco prosseguir...  
(Soraya da mesma forma, tinha o mesmo anseio).
Pensando longe, cheguei a fazer um  curso de Oratória no SENAC, em fevereiro e março de 2012, mas a minha apresentação em 12/03, teve como tema: ALBINISMO HUMANO.
A cada nova disciplina perguntava aos professores se incluir esse tema era  possível na área de letras, muitos responderam, NÃO, outros falavam que teriam que fazer uma pesquisa antes, e ainda houve alguns que perguntaram se já tinha algo na área de Português... Enfim... Foi luta...
Em 2012, descobri o livro: ESCOLHI SER ALBINO de ROBERTO RILLO BÍSCARO, mas só comprei a autobiografia em 2013, o li, e tornei a perguntar aos professores se era possível incluir tal tema em minha área, novamente NÃO eu ouvi...
Em novembro de 2013, nossa professora informou que iria ser nossa orientadora no TCC, dai meu coração palpitou forte, Ana Carolina Souza, a qual nunca tinha feito a pergunta sobre a minha tão sonhada pesquisa. Em dezembro ela pediu que durante o recesso (NÃO TÍNHAMOS FÉRIAS, POIS AS AULAS ERAM AOS SÁBADOS), pesquisássemos tudo o que encontrássemos referente ao tema que desejávamos, assim eu fiz, internet, o livro de Roberto que já estava lido, marcado, e tudo mais que consegui.
No segundo sábado de janeiro de 2014, retornamos as aulas, Carol,(carinhosamente assim conhecida entre os alunos), perguntou se tínhamos pesquisado, e claro que levei tudo que encontrei, “com uma insegurança” e medo de ouvir mais um não, ela olhou todo material que a turma levou e eu resolvi que olhasse  o meu material por último.
Chegando a minha carteira Carol  olhou tudo minuciosamente, depois leu o livro PEDRINHO O MENINO ALBINO da autora Patrícia Prado e as orelhas ( SÃO AQUELAS “ORELHAS” FORMADAS PELA CAPA, EM QUE SE COSTUMA ESCREVER ELEMENTOS SOBRE O LIVRO COMO CURTAS BIOGRAFIAS DO AUTOR OU EXTRATOS, PARA AGUÇAR A CURIOSIDADE DAQUELES QUE OS FOLHEIAIM EM LIVRARIAS E FICAM TENTADOS A COMPRÁ-LO PELO POUCO QUE SE LEU EM SUA ORELHAS) da biografia de Roberto, e imediatamente falou: Dá para fazer sim seu trabalho, mas não será muito fácil para você Solange, pois quase não há assuntos a respeitos do tema, vamos incluir a pessoa albina na literatura, pois será algo “inédito”, com isso pediu que eu pensasse no tema e iniciasse a introdução do mesmo. Nossa, foi uma emoção e tanto... A cada sábado Carol olhava o desenvolvimento do trabalho e orientava o que deveria levar para  próxima aula... Sinceramente, amei fazê-lo, ela não descartava nada que eu levara, o trabalho foi elaborado com sucesso e tranquilidade...
No dia 12 de abril do mesmo ano, foi o grande dia, a apresentação do trabalho, Carol falou que eu não “levantasse a bandeira”, isto é, que não me envolvesse, ou usasse termos na primeira pessoa, assim o fiz, fiquei nervosa ao apresenta-lo confesso que até chorei, mas consegui, tirei um DEZ 10, foi excelente!  
· Soraya não conseguiu fazer o seu TCC referente ao albinismo, pois a orientadora da turma dela “obrigou” os alunos a seguirem por um caminho bem diferente ao desejado, a mesma gostaria que os alunos fizessem os trabalhos referentes aos temas do tipo: Dessalinização das águas, reciclagem do lixo, reaproveitamento dos alimentos... Tudo para facilitar as orientações sem que precisasse fazer grandes pesquisas...   
Depois de concluir meu curso, desejei prosseguir divulgando o assunto PESSOA ALBINA, e a inclusão da mesma na Literatura, então foi ai que recorri a Carol mais uma vez para me reorientar, ou melhor, como eu poderia publicar o trabalho já elaborado, com isso ela me deu umas dicas, dai surgiu o CENTEDI, (Congresso Internacional de Educação e Inclusão), o qual o trabalho foi aceito no GT-13
(DIREITOS HUMANOS, DIVERSIDADE E EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, CURRÍCULO, METODOLOGIAS E PRÁTICAS EDUCATIVAS), quando apresentado, dia 03 de dezembro de 2014, os participantes fizeram muitas indagações a respeito do tema e das pessoas albinas, pois todos eram leigos em relação ao assunto abordado.
Enfim, desejo prosseguir incluindo as pessoas albinas nas minhas atividades acadêmicas, pois ainda tenho outra graduação a concluir, Letras Espanhol e quem sabe se amplio ainda mais esse tema.

VEJAM:
A AUTO ACEITAÇÃO NO COTIDIANO DOS “FILHOS DA LUA”: UMA ANÁLISE DO SER DIFERENTE NA OBRA ESCOLHI SER ALBINO, DE ROBERTO RILLO BÍSCARO.
RESUMO: O presente artigo leva-nos a uma das características mais marcantes da literatura, a mimeses, essa necessidade eminentemente humana de transcriar, representar, transcender realidades pela palavra, pela imagem dos textos; dessa forma, espera-se que as mais variadas identidades de sujeitos sejam espelhadas pela literatura. No entanto, observamos a ausência de pessoas albinas como personagens em narrativas e poéticas, entre outras manifestações literárias. O objetivo desse trabalho torna-se, portanto, redimensionar as pessoas albinas, até o momento na “invisibilidade” literária e promover a inclusão de obras com esse conteúdo nas discussões acadêmicas. Almeja-se que o presente estudo gere reflexões e contribua para dar a visibilidade e atualidade a literatura do diferente quando se propõe a apresentar um leitura analítica da obra “Escolhi ser albino”, de Roberto Rillo Bíscaro. A metodologia qualitativa de cunho bibliográfico foi a escolhida, já que buscamos realizar leituras e investigar conceitos a partir de noções e teorias da linguagem literária, e a partir desse pressuposto envolver a alteridade dos albinos no âmbito literário, os autores que contribuíram para nossa pesquisa foram: Sébastien Joachin, Ferreira e Guimarães. Contudo, conseguimos mostrar através do livro escrito pelo autor Roberto Rillo Bíscaro a necessidade da inclusão do diferente no contexto literário, transmitindo a importância do mesmo para auxiliar os professores a trabalhar com o que não é comum na literatura, ou seja, sair da zona de conforto por parte de alguns profissionais e ainda envolver a questão do respeito ao próximo e amenizar a homogeneidade existente no próprio albino.

Trabalho completo em: 



 


27 de jan de 2015

Tânzania, até quando?

No país, há a crença de que poções feitas com o corpo ou membros de albinos trazem sorte

A crença de que poções feitas com corpos de pessoas albinas trazem sorte e riqueza alimenta um comércio cruel na Tanzânia.


Os albinos do país vivem em constante ameaça de morte, podendo, a qualquer momento, ser vítimas de verdadeiras "caçadas" no país Os compradores de albinos chegam a pagar o equivalente a R$ 200 mil pelo corpo inteiro de uma pessoa. Muitas vezes, o "negócio" é fechado pelas próprias famílias das vítimas Mesmo quando o ataque não é mortal, as vítimas perdem membros que valem cerca de R$ 10 mil, de acordo com informações do tabloide britânico Daily Mail

O albinismo é um distúrbio congênito caracterizado pela ausência de pigmento na pele, cabelos e olhos devido a uma deficiência na produção de melanina pelo organismo É um distúrbio muito raro no ocidente, mas bastante comum na África Subsaariana e em outros países africanos

Nos últimos anos, houve várias iniciativas para tentar conscientizar a população e romper preconceitos e superstições em torno do albinismo

Na Tanzânia, o governo lançou campanhas de conscientização, mas o problema persiste, especialmente em regiões mais remotas do país.

Fonte:: 


ALBINOS NÃO VISITEM, VEJAM SÓ AS IMAGENS POR VÍDEOS MESMO!                 














26 de jan de 2015

Moda e beleza albina!!!



Olá queridos albinos!!!
Desta vez os homens nos perdoem, mas aqui colocaremos dicas mais para as mulheres, mas não fiquem enciumados, que nas próximas postagens vocês serão inclusos.
Desde que criamos este blog percebemos que a cada dia as mulheres albinas desejam se mostrar, ou seja, anseiam em agradar na visão  dede quem  as olham, pretendem atrair olhares não para o ALBINISMO em si, mas no contexto maior, o belo que elas têm a oferecer, por isso deixamos aqui dicas de blogs que poderão ajudar nesse contexto, (A BELEZA)

O blog criado por: 
http://www.lualbina.com.br
O blog criado por

Acreditamos que essas dicas poderão facilitar muito a vida daquelas que anseiam por mudanças.

AQUI UMA DICA BÁSICA PARA AS MADEIXAS LOIRAS: 


19 de jan de 2015